Postagens

O Todo é Mente: o Universo é Mental

Imagem
O Todo é Mente: o Universo é Mental

A frase acima resume o princípio fundamental da Magia: o mentalismo. O autor original dessa idéia é desconhecido. Sua identidade se perdeu na região nebulosa do passado mais remoto da Humanidade.

Contudo o ensinamento do mentalismo foi transmitido com suficiente eficiência para gerar um escrito cuja fonte, igualmente incerta, preservou para a contemporaneidade aquele e outros princípios em um livro, prova documental da enorme e inexplicável sabedoria dos antigos.

Este livro é o Caibalion [Kybalion], publicado em dezembro de 1908, hoje em domínio público, assinado por um pseudônimo, Os Três Iniciados e tradicionalmente atribuído a Hermes Trimegisto, de onde provém a expressão Hermetismo, freqüentemente usada como sinônimo de Ciências Ocultas.

Hermes Trimegisto [Mercurius ter Maximus; Hermes, o Três Vezes Grande], sincretismo entre o deus grego Hermes e o egípcio Toth, é um nome forjado no contexto do neoplatonismo para designar um personagem mitológ…

Charles Fort / O Livro dos Danados

Imagem
Charles Fort / O Livro dos Danados
Cético convicto e ferrenho crítico do positivismo, Fort dedicou sua vida a colecionar fatos insólitos que não poderiam ser explicados pela ciência do seu tempo. Além de conseguir provar que a ciência não era tão exata quanto diziam, foi o primeiro a escrever sobre o sobrenatural e precursor do realismo fantástico.
Nascido em 1874 em Albany, Nova York, Fort com apenas 18 anos começa a trabalhar em um jornal de NY e foge de casa, por culpa do seu pai tirano e autoritário, em sua alto bibliografia chamada “Many Parts” (sem tradução para o português) Fort acusa seu pai por esse sentimento que Fort tinha de ir contra dogmas e autoridades.
Aos 22 casa-se com Anna Filan, com quem viveria até sua morte e ajudaria na publicação e conservação de suas notas, apesar de uma vida inteira conjunta, o casal não deixaria nenhum filho. Aos 23 anos, Fort teria escrito cerca 10 livros e 25,000 notas, mas em um acesso de loucura e depressão teria queimado todas elas, sem…

Mistérios ...

Imagem
O fascínio que o mistério exerce sobre a mente humana tem sido o motivo da ampliação de nosso conhecimento do mundo e do desenvolvimento da ciência moderna. O constante desejo de solucionar os mistérios do espaço levou-nos a explorar o sistema solar, as estrelas e os planetas de nosso universo, e até outros universos além de nossa galáxia. Durante os últimos quinhentos anos, praticamente exaurimos a exploração dos mistérios geográficos da Terra. Mapeamos ou fotografamos a maior parte da superfície terrestre, e, desde os anos 40, pudemos registrar a posição aproximada de montanhas, golfos, planícies e abismos marítimos. Caçadores e zoólogos conseguiram, alternativamente, exterminar ou catalogar a maior parte da vida animal do mundo em que vivemos, embora as profundezas dos mares ainda possam nos reservar algumas surpresas. O homem moderno e o antigo já foram exaustivamente estudados e classificados. Até mesmo populações remotas e primitivas tornaram-se familiares por intermédio da tel…

Auto Conhecimento Parte 1 e 2

Imagem
Somos muito mais do que apenas podemos ver e tocar fisicamente. A constituição do ser humano vai muito além da parte física, fato que não era ignorado pelas antigas e sábias formas de medicina como egípcias, chinesas, indianas entre outras. Para a perfeita compreensão dos temas tratados no curso, vou falar um pouco sobre os corpos ou veículos que formam o conjunto do ser humano, assim como o que anima ou dá vida a esses veículos.  O gráfico nos mostra precisamente isso:

CORPO FÍSICO é nosso corpo de carne e osso e é o veículo com o qual nos expressamos no mundo físico. Esse corpo está sujeito ao tempo, isto é, se deteriora com o passar do tempo e, portanto, chega o dia em que cessam suas funções biológicas e o metabolismo. É a morte desse veículo.         
CORPO VITAL é a parte tetradimensional do corpo físico, ou seja, é um correspondente intimamente ligado ao corpo físico, porém não é visível ao olho humano, com exceção dos clarividentes.. O corpo vital também é conhecido como aura, co…

Annunnakis 1 capitulo

"Façamos o Homem à Nossa Imagem e Semelhança"
Com quem Deus conversava quando reverenciou sua criação no Gênesis? O Antigo Testamento afirma, em Gênesis 1:26, que no momento da criação do homem não havia apenas um deus, e sim deuses que conversavam entre si. Inúmeras religiões acreditavam na participação de vários deuses na criação do homem. Os Vedas atribuem a criação do homem a divindades como Indra, Varuna e Agni. O poema épico de Mahabarata conta que, há milhares de anos, deuses visitavam a Terra em suas carruagens de fogo. Muitas idéias evolucionistas foram introduzidas em nossas mentes por intermédio da religião e da ciência. De acordo com Spinoza, deve ter havido um motivo para terem contado tantas mentiras à humanidade.
Não há na mente vontade livre ou absoluta, mas a mente é determinada a acreditar nisso ou naquilo por uma causa que é determinada por outra causa, e assim ao infinito. (Spinoza)
Afinal, quem eram os protagonistas da criação do homem?
No princípio a…

A teoria das cordas e antigos ensinamentos

Imagem
Em milênios antes de Cristo, como mostrou o Mahabharata, o príncipe Krishna já falava sobre uma realidade muito além da esfera acanhada do ego. Dissera à Arjuna, por exemplo, dentre outras coisas, que “para além dos sentidos, para além da mente, para além dos efeitos da dualidade habita o Eu”, assim “o que é irreal não existe, e o que é real nunca deixa de existir; os videntes da verdade compreendem a íntima natureza tanto disto quanto daquilo, a diferença entre o ser e o parecer”. [1]
De igual maneira, milênios antes de Jesus, agora na China, o filósofo Lao-Tsé diria em seus versos peculiares – “assim são as coisas físicas, que parecem ser o principal, mas o seu valor está no metafísico”. [2]
Bem depois, o príncipe Siddharta Gautama, Buda, na fronteira entre o Nepal e a Índia, novamente, ensinava sobre a vacuidade deste mundo e desta vida material, falando sobre uma outra realidade. Em seus últimos ensinamentos, diz ele “maravilhai-vos com o princípio da transitoriedade e dele aprendei…