Afinal, quem é você? Parte 2


Nada acontece isoladamente. Tudo tem uma conseqüência. Quando você entrega sua mente e sua responsabilidade, você permite que algumas pessoas controle a grande massa. O que chamamos de mundo é uma réplica física segundo-a-segundo do pensamento humano, da imaginação humana, ou falta dela. Somos o que pensamos e sentimos. A supressão do conhecimento nos últimos séculos de fascismo psicológico [também conhecido como religião, educação, “ciência” e mídia] sempre procurou nos negar a informação que nos abriria os olhos e nossas mentes para o que realmente somos.

Nada tem tido mais sucesso no controle da mente humana que a religião e esse controle tem dependido, para a sua sobrevivência, da supressão do conhecimento [da verdade], como, por exemplo, do conhecimento de que a vida é eterna, para todos, e que nós não estamos separados de Deus, pois nós somos Deus.

Existe uma conexão vital entre as visões da maioria das religiões e da “ciência” oficial. Ambas acreditam que nossas vidas e nosso destino estão nas mãos de outros. A religião diz que Deus está no controle de nossas vidas. A “ciência” diz que acidentes aleatórios estão no controle de nossas vidas e apenas os mais fortes e os mais adaptados sobrevivem na jornada. Portanto, saia do meu caminho, por bem ou por mal. É a lei da natureza, sabe. Os “cientistas” provaram isso. É, meus amigos, façam suas escolhas. Está Deus no controle de sua vida ou uma série de acidentes aleatórios? Nenhum deles, VOCÊ está!

O corpo físico é uma expressão de nossa consciência durante uma vida física e, portanto, o corpo também reflete nosso estado mental. Desarmonia na consciência reflete-se como desarmonia [doença] no corpo. Tornamo-nos doentes. Da mesma forma, podemos pensar em retornar à saúde descobrindo a harmonia dentro de nossas consciências. Mas o corpo não é o eu “real”, é a casca física temporária para o verdadeiro eu. Eu chamo o corpo de vestimenta espacial genética, o veículo físico através do qual a parte eterna de nós – a alma – pode experimentar este mundo físico denso. Nossa consciência é eterna enquanto que o corpo físico tem uma vida finita e retorna ao solo e à fonte de energia, quando nós “morremos”. Mas nós não “morremos”. Nossa consciência, nossos pensamentos, sentimentos e emoções, retira-se da vestimenta espacial e move-se para outro mundo, uma outra realidade tempo-espacial ou freqüência. Isto está acontecendo durante nossas experiências de quase-morte. Os “deuses” vieram literalmente do céu [via UFOs]. A palavra da qual o “Lord” bíblico [“Senhor”] foi traduzido, na realidade significas Lords [Senhores], no plural. Acontece o mesmo com o “Deus” bíblico. Foi traduzido de uma palavra que, no original, significa “deuses”.

A enganação de que Deus está “lá em cima” e é de uma certa forma física, nos levou à idéia de que a criação é um armário de gavetas, com o céu na gaveta do topo e o inferno na gaveta mais baixa. Isto tem obscurecido a compreensão de que o céu, inferno e Deus estão em todos os lugares. Céu e inferno são estados da mente que nós podemos experimentar a qualquer momento. Podemos ter inferno na Terra ou céu na Terra. É nossa escolha, nosso estado mental, que decide sobre isso. Deus está literalmente em todo lugar porque “Deus” é uma consciência/campo de energia gigante que é tudo. É seu corpo, sua mente, a grama, as árvores, o firmamento, a chuva. Tudo. Junto com a consciência/energia dos animais, insetos, árvores, flores, extraterrestres, intraterrestres, tudo, nós formamos um oceano chamado “Deus”. Os animais não estão separados de você. Eles são você. Assim como as árvores, a grama, a água. Tudo é você e você é tudo. Se você prejudica uma outra expressão de Deus, você está apenas prejudicando você mesmo, um outro aspecto de você mesmo.

Longe de estar “lá em cima”, a consciência infinita que chamamos Deus está em tudo e em todos os lugares. É você e tudo em volta de você, inclusive todos os outros “mundos” que você não consegue ver com seus olhos físicos. A consciência/campo de energia que chamamos de Deus não é um armário de gavetas. Consiste de realidades infinitas de tempo-espaço [mundos], onde todos compartilham o mesmo espaço e interpenetram entre si. Existem freqüências ou dimensões diferentes, exatamente como as freqüências de rádio e televisão compartilham o mesmo espaço que o seu corpo físico está ocupando agora. Neste momento, sua consciência está sintonizada na “estação” que nós chamamos de universo físico denso. Mas todas as outras freqüências da Criação continuam a existir no mesmo espaço que nós estamos ocupando, apesar de não estarmos alertas para elas. O corpo físico e o cérebro filtram de nossa percepção muito mais coisas do que aquilo que nós, na prática, sentimos e vemos. O total da Criação existe dentro do mesmo espaço “vazio” que você está ocupando agora – “O reino dos céus está dentro de vós”. Quando “morremos”, nossa consciência deixa o corpo físico e esta freqüência física densa, e se sintoniza com outra “estação” para continuar nossa evolução eterna em outro lugar. Durante nosso sono, nossa consciência passeia através de algumas dessas outras freqüências, daí surgindo os sonhos “estranhos”.

Energia e consciência são a mesma coisa, e é por isso que todas as coisas estão vivas e possuem uma percepção, a habilidade de reter informação. Tudo tem sua própria “impressão digital” vibratória pessoal. Quando um sensitivo segura uma pedra ou um velho anel ou objeto, ele pode sintonizar sua consciência com o seu campo de energia e “ler” a informação que o objeto absorveu. Isto pode se relacionar com a pessoa que certa ocasião possuiu esse objeto ou a um evento que aconteceu próximo a esse objeto. Seja qual for o caso, o objeto irá reter esse conhecimento dentro de um campo magnético, exatamente como um disco magnético de computador. A energia magnética absorve informação e tudo é uma forma de energia elétrica-magnética. Uma manifestação física dessa energia em nosso mundo é aquilo que chamamos de eletromagnetismo.

Nenhuma experiência é jamais perdida. Muitas pessoas que vivem próximas de linhas de transmissão de alta tensão sofrem de uma doença rara [leucemia]. A “ciência” afirma que não existe conexão entre linha de alta tensão e doenças, porque a identificação desta ligação iria resultar muito custosa para as empresas de energia elétrica. Estas doenças são causadas pela interferência prejudicial dos campos eletromagnéticos emitidos pela linha de transmissão com os campos eletromagnéticos do corpo humano. Estou convencido que o aumento da incidência de câncer e o aumento correspondente de tecnologia eletromagnética em nossos lares, locais de trabalho e cidades, estão intimamente conectados.

É o que imaginamos de nós mesmos que cria nossa realidade física. Tudo é um campo de energia único de vibração eletromagnética e a todo instante estamos emitindo nosso padrão único de energia magnética. O que difundimos como padrão magnético retorna a nós como uma realidade física. “Toda a matéria é meramente energia condensada em uma baixa vibração; não existe algo chamado morte; a vida é apenas um sonho; e nós somos a imaginação de nós mesmos”.

Nosso padrão magnético reflete nossa sensação interna de ser. Nossa realidade interior torna-se, então, nossa realidade física porque nosso padrão magnético atrai para nós outros campos magnéticos de pensamentos – pessoas, lugares, modos de vida, experiências, que espelham precisamente o padrão que estamos emitindo [difundindo, radiando]. Quando você olha através de seus olhos, você está olhando em um espelho de seu ser interno. Tudo estará refletindo parte de você, ou a sua necessidade de aprender ou experimentar algo. Mude seu eu interior [sua atitude mental] e você muda sua réplica física – sua vida. A realidade que você agora experimenta é o resultado daquilo que você pensa de si. É a imaginação que você tem de si, dentro de sua mente consciente e subconsciente. Criamos com o nosso pensamento e experimentamos essas criações através de nossas emoções e nossos sentimentos.

Quando somos dominados pelo medo, nossa evolução cessa. Você não gosta de seus amigos? Mude a você mesmo e seus amigos irão mudar a forma de o tratar ou irão se afastar de sua vida e outros irão aparecer para refletir sua nova forma de ser. Tudo que acontece em sua vida é criação sua.

Criamos também a realidade que chamamos de doença. Todo desconforto, desde os menores até aqueles que ameaçam a vida, é acionado por nós mesmos. A natureza da doença física está relacionada com o estado mental e emocional que está criando a doença. O corpo é um barômetro constante de nossas emoções. Armazenamos em nossos corpos as emoções que não desejamos trabalhar. Chorar vem a ser algo bom para nós, já que libera emoções suprimidas. Mas nos é dito que “homens não choram” e, portanto, os homens morrem de ataques cardíacos que resultam da tensão de energias não liberadas dentro deles. Ninguém tem uma doença devido a falta de sorte. Nós as criamos e, portanto, nós podemos as descriar. Nossos corpos são um espelho fiel de nossas mentes, emoções e espírito. Sua mente está no controle de seu corpo a todo momento.

Criamos nossa própria realidade e nossa experiência física. Se você sempre fizer aquilo que você sempre fez, você irá sempre obter aquilo que você sempre tem obtido.

A palavra “carma” é, para mim, outra forma de dizer que nós criamos nossa própria realidade. Se, no entanto, aprendermos vendo os efeitos de nossas ações, nosso senso de nós mesmos irá mudar, assim como nossos padrões. Nossas vidas são a imaginação de nós mesmos. Nós escolhemos quando, onde e com quem nós encarnamos, e nós criamos nossa própria realidade. A perda e supressão desta compreensão é razão fundamental dos sofrimentos que têm ocorrido na Terra por tanto tempo. Este conhecimento revela que estamos no controle de nosso próprio destino, enquanto que a versão de “vida” que nos é doutrinado pela religião e “ciência” insiste que uma outra força está no controle, seja um Deus julgador ou acidentes aleatórios.

Ninguém me controla. Não sou uma vítima, eu sou eu, eu sou eu no controle de mim. Para isso precisamos nos desintoxicar de nossos vícios emocionais. Emoções, como medo, culpa, ressentimento, raiva, preocupação, depressão e outras, são todas viciantes, tal como drogas e bebidas. Pessoas que são viciadas em preocupações, por exemplo, estão sempre procurando por algo com que se preocupar, porque o sistema delas se tornou tão dependente de sentir aquela energia que ele necessita de sua constante “dose”. Sentir-se miserável e deprimido é outro vício emocional que as pessoas acham muito difícil de romperem. Torna-se o estado vibracional delas.


Coitadinho de mim


A mentalidade do “coitadinho de mim” é o estado mental mais destrutivo que é possível de ser experimentado. A mentalidade de vítima cria a realidade de vítima. Não existem vítimas. Nós apenas pensamos que somos e portanto criamos esta realidade física. Somos persuadidos que a vida não é para ser vivida, mas para ser sobrevivida.

Através da história, tem-nos sido vendida a idéia que você precisa sofrer e se sacrificar agora para criar as coisas boas que desejamos no “futuro”. O que realmente desejamos ter em nossas vidas está sempre no futuro, nunca no agora. As religiões nos têm dito que precisamos sofrer e nos sacrificar nesta vida para nos qualificar para o paraíso... amanhã. Políticos e economistas nos dizem que precisamos fazer sacrifícios agora para criar prosperidade econômica... amanhã. É a síndrome do “um dia”: um dia eu terei o que desejo, mas não agora. Se essa é a nossa realidade, nossa imaginação de si mesmo, nós nunca teremos o que desejamos porque aquela energia é sempre projetada no futuro e não no presente. A esperança é outro exemplo de viver no futuro. Esperança é uma experiência de futuro, não uma experiência de agora. “Eu estou sem esperança. Eu estou sem medo. Eu estou livre.”

Existem pessoas revoltadas que possuem tanta raiva dentro de si que elas estão constantemente procurando pessoas e circunstâncias contra as quais ficarem com raiva. Elas ficam bravas com alguém para evitar olharem para a fonte da raiva – elas próprias.

O verdadeiro amor é dizer o que a pessoa precisa ouvir, não necessariamente aquilo que ela deseja ouvir para confirmar seu sentimento de Coitadinho de Mim. Qualquer que seja as circunstâncias nas quais nascemos, nós as escolhemos antes de nascer. Portanto, aprenda e mova-se para frente. Veja as coisas de uma forma positiva e você pode deixar ir embora a culpa e o ressentimento do passado que tanto contribui para destruir nosso presente. Você pode ver a vida como uma série de problemas ou como uma série de soluções. É uma escolha e as vidas que esses estados mentais criam serão muito diferentes.

Existem os radicais robotizados que brigam pela liberdade das vítimas. Na realidade, eles geralmente criam vítimas ao invés de as libertarem. Apenas nós podemos libertar a nós mesmos. Ninguém pode fazer isto por nós. Os radicais robotizados vêem a si próprios como vítimas e eles acabam alimentando a mentalidade de vítima com suas ações. A dor, que deveria apenas ser um sinal de aviso de que algo está fora de equilíbrio, já foi integrada na nossa existência do minuto-a-minuto. Sentir dor é agora “normal” neste mundo louco que a nossa mente criou.

As vítimas nada fazem com relação às suas circunstâncias porque elas acreditam que não têm poder de fazer nada e, portanto, nada é feito. A culpa é sempre de outra pessoa e, portanto, outra pessoa terá que me tirar desta bagunça. “O que eles vão fazer a respeito disto?”, é o choramingo da vítima. Se desejarmos mudar nossas vidas, nós é que teremos que fazer isso.

Quando as pessoas mudam a forma de verem a si mesmas, quando elas param de se ver como vítimas, seu padrão de energia muda. Elas começam a atrair magneticamente para si as pessoas, lugares, experiências, “coincidências” e “sorte” que muda suas circunstâncias de negativa [uma reflexão do velho eu] para positiva [o novo eu]. É apenas agora, e apenas agora, que as pessoas com problemas podem ser ajudadas. Enquanto elas manterem a mentalidade do “coitadinho de mim” não existe nada que alguém possa fazer. As “soluções” apresentadas por pessoas e políticos nunca funcionam, por criarem estruturas de dependência [controle], e a dependência diminui nossa auto-estima, nossa imaginação. A estrutura em si torna-se um veículo de controle, não de libertação [ex. Fome Zero].

Se você deseja mudar o tipo de políticos que nos representa, mude a você mesmo. Hoje existem formas sutis de programação da realidade graças às mensagens subliminares, muitas vezes via televisão, que falam diretamente à nossa subconsciência numa forma que a nossa consciência não consegue ver ou ouvir.

Podemos remover os meios desse controle. Sente e fique quieto, visualizando o que deseja para si. Veja isso acontecendo para você agora, neste momento. O pensamento cria exatamente aquilo que você pensa, e, portanto, se você visualiza algo acontecendo no futuro, isso irá sempre estar acontecendo no futuro e nunca no agora. O pensamento cria tudo. Apenas se aquilo que você desejar não for apropriado para a sua experiência de vida, haverá uma parte superior de você mesmo que irá bloquear a manifestação. Geralmente subestimamos o efeito, no mundo, daquelas coisas, que julgamos “pequenas”, que dizemos e fazemos. Cada vez que pensamos ou sentimos algo, nós afetamos o mar de energia eletromagnética e afetamos tudo que existe. Como nos tratamos em um supermercado ou no escritório pode não parecer revolucionário, mas é. Mais uma vez, VOCÊ está no controle. Você sempre esteve e você sempre está.

Postagens mais visitadas deste blog

O Livro dos Danados

Mistérios dos Sumérios

A Civilização mais antiga do planeta !!!!!!!!