Pages

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Afinal, quem é você?


Afinal, quem é você? O que encontra-se atrás dos seus olhos? Quando você olha em um espelho, o que você enxerga? Você vê o verdadeiro você ou aquilo que você foi condicionado a crer que é você? Os dois são tão tão diferentes. Um é uma consciência infinita capaz de ser e criar tudo aquilo que escolhe, e o outro é uma ilusão aprisionada por suas limitações percebidas e programadas.

Que beleza é viver na terra da liberdade. Você é livre para ver as notícias e os jornalistas e correspondentes te dizerem, sem questionamento, a explicação oficial dos eventos – explicações projetadas para garantir que você veja o mundo da forma desejada e que reaja da forma desejada. Você está livre para fazer o que nós dizemos a você; livre para pensar da forma que dissermos a você; livre para viver da forma que dissermos para você. E você está inclusive livre para morrer como nós dissermos a você, nas guerras friamente criadas para destruir, controlar e manipular.

Deixamo-nos transformar em um rebanho. Uma vez que nós aceitamos a mentalidade de rebanho, nós podemos ser controlados e dirigidos por algumas poucas pessoas. E nós somos! Nós paramos de pensar por nós mesmos e entregamos as nossas mentes [poder]. Quando nossas respostas ao medo são ativadas, nós corremos para aceitar o que nos for imposto.

É razoavelmente fácil alguns controlarem toda a população do planeta, quando você controla a educação [na realidade, a doutrinação] e os meios de comunicação – as fontes de “informação” e as mensagens [mantras] que bombardeiam a mente consciente e subconsciente desde o berço até o túmulo.

Vá a uma rua lotada e observe as pessoas que passam. Você não está vendo o todo real e infinito delas. Você está olhando para a máscara que elas projetam para o mundo. É a máscara que elas acreditam ser aceitável para o resto dos prisioneiros, para evitarem ser ridicularizadas ou condenadas por pensarem e agirem de forma diferente às demandas da Zona Livre de Controvérsias/Embaraços.

Se você deseja ser livre, pare de viver uma mentira. Pare de negar você mesmo. Você é um aspecto único de tudo que existe, a soma total de todas as suas experiências únicas desde que você primeiramente tornou-se uma consciência, uma infinidade de tempo atrás. Esta é uma razão para ficar alegre. Não existe nenhum aspecto da consciência, em toda a criação, que é igual a você. Você é especial, assim como todo mundo é igualmente especial. Mas, ao invés de sermos alegres e orgulhosos de sermos especiais, nós acabamos deixando que esta situação única se transformasse em algo a se temer: “Oh meu Deus!”

É comum sucumbirmos ao mito sobre “homem e mulher ordinária na rua” ou “pessoa comum”, à idéia de que as massas são apenas “ordinária” e apenas algumas pessoas, que são “extra-ordinárias”, conseguem algo na vida. Este sistema de crença nos diz que nós somos “ordinários” e, portanto, devemos saber qual é o nosso lugar. Na verdade, não existe um homem, mulher, criança ou folha de grama “ordinária” em toda a criação, mas as pessoas são persuadidas a acreditar nesse mito e, portanto, acabam atuando no papel de um ser “ordinário”. É um ato que eles foram condicionados a desempenhar, como um ator no palco. Ordinário não é o que somos, é meramente o que nós escolhemos acreditar que somos. Mas isso é muito poderoso no sentido de diminuir nosso senso de valor; é uma outra motivação para entregarmos nossa mente para aqueles que nós acreditamos que são “melhores” que nós. Tudo parte do condicionamento que inclui a baboseira de que nós nascemos todos pecadores, seja lá o que isso queira dizer.

Não ficamos com medo pelo que os presidentes, primeiros-ministros, banqueiros globais pensam a nosso respeito – é a reação de nossos amigos, família e colegas de trabalho que nos preocupa e nos amedronta para nos conformarmos. A reação dos outros escravos! A força policial mental, emocional e espiritual, que controla as massas, é formada pelas... massas. É como ter uma cela cheia de prisioneiros e quando um dos prisioneiros encontra um meio de escapar, todos os outros prisioneiros correm para bloquear a saída.

Preconceito é a palavra vital aqui. As pessoas são condicionadas para terem preconceitos contra outros membros e grupos dentro de cada cultura e sociedade, e essas diferentes formas de preconceitos são usadas para dividir e governar a manada. O preconceito pode ser racial, religioso ou político, ou baseado em antecedentes, ganho financeiro, tipo de trabalho ou estilo de vida. Isto permite a manipulação da consciência coletiva florescer e, no entanto, se parássemos de procurar impor NOSSA versão do certo e errado, bom e mal, moral e imoral, em cima dos outros, nós removeríamos os meios de tal manipulação global. Nós precisamos nos livrar de TODOS os preconceitos – AGORA!

Nós julgamos as pessoas, e a nós mesmos, não pelo que somos, mas por aquilo que possuímos ou por aquilo que “fazemos”. O “papel” que desempenhamos não é “nós”, assim como o personagem que um ator representa não é a personalidade real do ator. Nossos trabalhos e “papeis” são veículos temporários para adquirir experiência, só isso. Somos consciência em evolução em uma jornada eterna em direção de um maior amor, conhecimento e compreensão, mas nós nos esquecemos disto e nós temos sido encorajados a esquecer disto. Somos como atores que pensam que o filme é a realidade. É apenas um jogo, mas nós pensamos que ele é real. Estamos levando o jogo muito a sério. É apenas um filme e ele deveria ser alegre.

Democracia não é liberdade, é uma ditadura camuflada de liberdade. A mesma força controla, direta ou indiretamente, todos os principais partidos políticos e movimentos. Quando você vota em uma eleição, você está escolhendo entre diferentes aspectos da mesma força. O dinheiro e a mídia decide quem torna-se presidente dos Estados Unidos e o dinheiro e a mídia são possuídas e controladas pelas mesmas pessoas. 30 pessoas dizendo a outras 49 o que elas devem fazer não é liberdade. Na realidade, a maioria dos governantes são eleitos por uma minoria da população. Liberdade é o direito de TODAS as pessoas expressarem quem elas são, o que elas pensam, e como elas desejam viver suas vidas: livres de imposição ou constrangimentos de ninguém. É poder celebrar nossa individualidade única sem regras, regulagem, ridicularização ou condenação daqueles que procuram impor seus pontos de vista da vida sobre o resto de nós.

Até que aprendamos a respeitar o nosso, e de todos, direito de ser diferente, de fazer nossas próprias escolhas, e criar nossas próprias realidades conscientes, livres de imposições e pressão para nos conformarmos, nós iremos permanecer em uma prisão fabricada por nós mesmos. Continuaremos a ser, ao mesmo tempo, o policial e o prisioneiro. E um punhado de pessoas, com uma agenda muito desagradável, irá continuar a mandar no mundo. A escolha, como sempre, é nossa. Podemos aceitar a prisão ou podemos caminhar para a liberdade. E a liberdade está apenas a um pensamento de distância...

6 comentários:

  1. Belíssimo discurso,e ao mesmo tempo muito,muito triste,exatamente porque só diz a verdade que não se que ver ou ser aceita.Certo é que vivemos numa democracia,mas não sabemos que temos o poder.Na verdade,os que sabem disso e não admitem "tranquilizantes" da mídia,ainda são bem poucos.Por ser um desses,é que sou rebelde.Mas não um rebelde arruaceiro;isso não resolve nada.Sou um rebelde em minhas idéias;nelas ninguém mexe ou impõe nada sem eu mesmo aceitar tais mudanças.Está chegando um tempo,em que grande parte do "gado" deverá ser sacrificada;só então haverá mudanças de fato,aqui neste mundo de trevas mentais e submissão às mentiras,que são como pedaços de doce envenenado na boca de um povo cego e faminto... Minha alegria é saber que todo ciclo tem um fim. Valeu,Marcos,até mais.

    ResponderExcluir
  2. é uma grande verdade
    e como toda verdade doi
    admitir q não somos akilo q desejamos ser
    é sempre dificil
    mas vale lembra
    q quando se quer
    tudo muda
    então depende apenas de nos
    mudar a si mesmo
    antes de tentar mudar os outros
    ja parou pra pensar q as vezes achamos certas pessoas ridiculas arogantes sendo q as vezes somos nos os ridiculos aroogantes
    como dizia Raul Seixa
    "é sempre mais facil achar q a culpa é dos outro"
    "convence as paredes do quarto e dorme tranquilo, sabendo no fundo do peito
    q naum era nada daquilo
    coragem coragem si oq vc quer é aquilo q pensa e faz coragem
    eu sei q vc pode mais"

    beijo grande

    ResponderExcluir
  3. Puxa, que texto otimo e profundo! Eu sou um pouco de tudo mas preocupada em ser uma boa pessoa, quero que sintam saudades de mim e nao desprezo por minha pessoa. Ao partir, que eu deixe minha pegada no caminho desta vida.

    ResponderExcluir
  4. Olá, figura iluminada:
    posso colocar um link deste texto no meu blog? Tem tudo a ver com o post atual e próximo também.
    abçs.

    ResponderExcluir
  5. Maravilhoso!!! Parabéns pela coragem!

    ResponderExcluir
  6. Olá!!

    Belo Artigo! Eu lamento que tudo isso seja verdade e mais ainda que nós sejamos os criadores dessa prisão. Me pergunto até quando vamos deixar isso acontecer? Porque tanto medo de sermos nós mesmos e aceitar as potencialidades que nós sabemos que temos!? Enquanto uns poucos usam isso (infelizmente para manipular) nós ficamos observando e nos deixando levar.
    Eu quero sair desse "rebanho" e para isso necessário é primeiro se conhecer, pois depois disso, ninguém mais irá impedir que o verdadeiro progresso ocorra, dentro de nós. Um grande abraço!

    ResponderExcluir

Onde Estou

Colaboradores