Quer Compreender ? Então vamos colocar tudo junto num Caldeirão

...sem o preconceito e o pragmatismo dogmático que nos é peculiar. O caminho consiste em aceitar de tudo um pouco para compreender o todo.

Quando eu me referi a questão da evolução não poder ocorrer de forma individual, percebi posteriormente que, essa questão era bem mais ampla e profunda do que eu imaginava. Até certo ponto eu estava correto, mas faltava algo, ou uma forma para melhor explicar esta questão. A evolução se dá com a contribuição de todos. Parece igual, mas é diferente.

Vou tentar demonstrar essa diferença apartir de agora.

Eu disse que:

"A evolução não ocorre para ninguém de forma individual, ou seja, precisamos caminhar de mãos dadas com nossos semelhantes."

O que compreendo hoje é:

"A evolução só ocorre quando iniciamos nossa jornada rumo ao conhecimento, a partir de um ponto já existente deixado por alguém como contribuição individual ou seja, já foi feito algo, já foi dado o primeiro passo, agora é a nossa vez de continuar apartir desse ponto e expandí-lo para mais adiante, então quando acabar nosso tempo, deixaremos mais um ponto de partida para os que ali chegarem e continuarem a nossa eterna porém incompleta jornada."

Entendi ser esse o meio fundamental e extraordináriamente simples.

Evolução significa compreenção, entender algo já existente e que foi deixado propositalmente para trás, desta forma podemos utilizar tudo a nossa volta como uma ferramenta de arranque, uma alavanca para que a evolução seja constante.
Sem entender que, tudo é conhecimento importante, bastando-nos organizá-lo de forma que possamos entendê-lo, torná-lo compreencível a todos, igualmente sem exceção, não há continuidade. É essa a nossa contribuição, possibilitar continuidade a aquilo que nos foi deixado como legado. Esse será o ponto de partida para o próximo que chegar. O conhecimento deixado por outras civilizações que habitaram nosso planeta esta em meio a sua agenda de acontecimentos para que, pudessemos entender e enfrentar todas as mudanças impostas porém, necessárias em nossa caminhada, de maneira lúcida e sem medo. Infelizmente, mistificamos tudo que desconhecemos e por fim, sentimos medo daquilo que nós mesmos criamos.

Compartilhar é uma forma sublime de amar, sendo assim, estaremos exercitando dois sentimentos nobres dentro de nós; a partilha que nos permite aprender e ensinar ao mesmo tempo, e expressar o amor por aqueles que ainda não compreendem seu próprio caminho, dando a esses a oportunidade de crescer e caminhar "juntos"-cada qual a seu tempo -, em uma mesma direção.
Apartir do nosso entendimento e do compartilhar, o próximo poderá vislumbrar melhor essa realidade e dar sua contribuição tambem.

Essa é a alma desse processo, o processo evolutivo.

Imagine uma CORRIDA DE BASTÃO, de que forma ela é feita. O processo evolutivo humano é algo semelhante, o seguinte corredor -nosso semelhante- só poderá partir quando entregarmos o BASTÃO -o conhecimento- ao alcance de suas mãos, então ele partirá para sua corrida, fazendo a sua parte.
Quando chegar o momento, esse por sua vez entregará o bastão para o próximo, e o próximo para o próximo e assim sucessivamente.

Esse é o mecanismo necessário e fundamental do conhecimento descoberto e compartilhado. Se não for assim, claro que a vida continua, mas de forma muito mais dolorosa e difícil para todos. Se o próximo não partiu para sua corrida, eu e você temos responsabilidade nisso. Provavelmente não fizemos o que deveriamos ter feito. Pense nessa corrida como se fosse sua familia. Seus filhos não conseguirão iniciar sua jornada caso você não seja capaz de lhes entregar o bastão de forma correta. Isso implica em você utilizar todo seu conhecimento acumulado de forma amorosa e compartilha-lo com aqueles que lhe sucederam, possibilitando assim a contínua e incessante jornada humana rumo a perfeição. Como queres um agora melhor se os próximos de nós não terão a capacidade de lidar com todas as mudanças que estão por vir? De nada adianta um agora melhor sem gestores melhores.

Quer entender? Então vamos juntar tudo em um único caldeirão, sem precoceitos e o pragmatismo dogmático que nos é peculiar.

O caminho consiste em aceitar de tudo um pouco para compreender o todo. Ao compreender, vamos dividir, ao dividir crescemos, evoluimos, esse é um maravilhoso exercício de generosidade e desapego.

Como separar o "joio do trigo" se não sabemos qual é qual? Aceitar tudo é uma saída, mas absorver apenas o necessário naquele momento é muito mais importante do que ficar julgando o que é certo ou errado. As dicas e oportunidades estão em tudo, em todos. Se nosso preconceito for extremamente seletivo, selecionando apenas o conveniente, nos perdemos no caminho pois faltará muita informação para compreendermos pelo menos parte do todo. O todo não é inalcançável mas acredito que ainda é uma realidade distante de nós, nossas limitações ainda são inúmeras. Somos ainda carcereiros de nossas próprias prisões e não nos permitimos sair em momento algum. Somos verdadeiros carrascos de nós mesmos.

Com a valiosa ajuda de muitos amigos reais e virtuais, pude perceber que minha realidade só é visível e compreencivel quando a considero apenas mais uma peça do quebra cabeça chamado vida. Está confuso? Então vejamos de que forma poderemos simplificar esse processo. Apartir das experiências de todos por meio do conhecimento compartilhado, consigo enxergar mais longe e visualizar mais caminhos - o todo, parcial- do que somente aquilo que eu acreditava presunçosamente existir. Saindo do meu estado original de imobilidade por não ter a capacidade de enxergar mais longe, pude expandir minha capacidade de compreenção e entendimento, ou seja, evolui. Cada passo que damos em direção do todo, da compreenção do todo, é uma evolução.

Partindo desse ponto, pude perceber que não existe a evolução como algo único, existem as evoluções, ou seja, é cada conquista, cada passo que damos mais adiante em nossa caminhada dentro desse extraordinário processo de "cura" chamado vida. A vida como a conhecemos é apenas mais uma entre as inúmeras possibilidades de evolução, mas essa é a que nos foi ofertada, então é ela que teremos que desfrutar o mais conscientemente possível, pois será a partir de nossas ações é que serão construidos os caminhos para os próximos passarem. Esse é o nosso legado e nossa maior missão; com amor e resignação, construir uma bela e segura estrada para os futuros existêntes, pois um dia já não estaremos mais por aqui, pelo menos não fisicamente.

"A nossa bagagem mais importante não será o que levaremos e sim o que deixaremos para trás, pois a força do exemplo e as obras deixadas são fortes o bastante para mudar os rumos de toda uma geração."

Quando nos propomos ao exercício da busca, encontramos uma infinita quantidade de rastros deixados para trás por aqueles que já se foram. As mensagens estão em toda a parte. Pela nossa falta de capacidade de compreenção e pela inabilidade de muitos desses que já se foram, essas informações estão embaralhadas, bagunçadas, incompreencíveis.

Isso dificulta muito nossa caminhada, pois será apartir do que nos foi deixado que expandiremos nosso conhecimento, que iremos mais longe em nossa estrada. Não querendo entrar no mérito das religiões, mas já entrando, esse ao meu ver é um dos pontos mais confusos que existe dentro da sociedade humana. A ciência tambem dá sua bela contribuição para dificultar o entendimento geral. Continuar a partir de um ponto já existente e simplificar, é o caminho para o avanço contínuo. Porém, alguns podem dizer:
"Mas é preciso inovar, recriar!"
Eu mesmo já pensei assim diversas vezes mas percebi que na tentativa de recriar sem entender o primordial, o início de tudo é uma caminho cheio de labirintos. Ficar conjecturando hipóteses e especulando resultados é perda de tempo, bastando-nos continuar aquilo que já foi nos deixado, obviamente sem deixar de entendê-lo, caso contrário continuaremos cegos.

Se hoje sofremos com essas dificuldades, não é preciso nem dizer o quanto os próximos sofrerão ainda mais se deixarmos essa situação nesse caos em que tudo se encontra atualmente. Isso só ocorre por que tudo a nossa volta é reflexo de como somos e estamos por dentro, por isso o autoconhecimento é tão importante.
Os obstáculos existem, estão ai para serem superados mas não são intransponíveis. Nós damos essa impressão de intransponibilidade a medida que dificultamos mais e mais a realidade com nossas ações irresponsáveis. O amor consiste em partilhar o saber de forma justa, gentil mas acima de tudo, de forma que possa ser absorvido sem maiores dificuldades, sem gerar mais e mais situações conflitantes que em nada agregam o positivo necessário.

As dificuldades necessárias já nos são impostas naturalmente, impor mais obstáculos não é nossa atribuição, o que nos cabe é superar os já existentes e ensinar o "caminho das pedras" aos que estão começando, no início de sua bela caminhada, como nós um dia estivemos. Tudo passa invariavelmente pelos campos do amor, da generosidade e resignação para com nossos semelhantes. Essa é uma constante universal, nada se faz de forma correta se não for desta maneira e com esses objetivos; amar e ensinar.

Vejamos então por que vivemos em meio ao caos e ao conflito exacerbado.

Quando eu cito caos e conflito, não me refiro as dificuldades naturais impostas pela criação maior como obstáculos necessários para nossa educação espiritual, e sim aos problemas que nós mesmos criamos pelo nosso egoísmo e nossa incompetência de gerenciar nossa
própria vida de forma justa e amorosa. Agimos não somente de forma inconsequente mas tambem de forma extremamente individualista. Essa segunda vai totalmente contra os fundamentos mais básicos da criação e suas intenções para com suas "criaturas", nós, ou
seja, ninguém vai a lugar algum sozinho, mas mesmo assim, o que fazemos?

Eu digo o que fazemos, e é exatamente assim:

"Quero tudo para mim, faço por mim, vou sozinho, não me importo com ninguém, eu sou mais importante que tudo, aquilo que me interessa esta acima de tudo, meus sonhos e vontades devem se sobrepor a tudo e a todos."

Não é desta forma que somos educados a pensar?

"Não importa o que você deseja, faça o que for preciso e necessário para alcançá-lo.", esse "faça o que for preciso" nos tira a noção de responsabilidade, nos anestesia para a lei de causa e efeito da criação. Agimos errado, logo geramos o caos, dificuldades para todos. Não pense nem por um instante que você estará imune as consequências, em seu simples ato de pensar, algo acontece, é criado. A atitude, quando de forma equivocada, tem resultado mais devastador ainda pois não passa pelo processo de transformação do pensamento antes de se tornar uma realidade física, a atitude já é a realidade física, sendo assim as consequências são imediatas. Quando pensamos ainda que de forma errada, criamos um componente físico semelhante ao pensamento, porém, reversível podendo ser transformado, recriado. Já a atitude..., pense naquela frase que diz:

"Não adianta chorar o leite derramado, o que esta feito esta feito."

Pois é, é desta forma que a dinâmica da criação se comporta segundo nossas intenções, gera o equívoco quando seus criadores, nós, não temos a mínima consciencia de nossas ações. O auto conhecimento nos da uma ótima noção de nossa capacidade destrutiva e mais, de nossa maravilhosa capacidade criadora.
Nossa pseudo consciencia, nos mergulha em um mundo extremamente competitivo quando deveria ser ao contrário. Competir não é nem jamais será a palavra certa. O termo correto é
compartilhar. Como amar alguém que você não considera um irmão de caminhada, mas sim um adversário? Darwin tem grande parcela de culpa nesse processo instalado, pois foi apartir de suas idéias mau interpretadas por si mesmo, que se deu um ambiente propício para que os mais aptos e mais fortes se sobresaissem aos mais fracos. O princípio da generosa partilha foi definitivamente sepultado apartir da "teoria da evolução", que irônicamente não explicou nem permitiu a evolução de ninguém, muito pelo contrário, só tumultuou aquilo que já estava difício. Seria o mesmo que dizer: "Atropele os mais fracos e garanta sua sobrevivência, esse é seu destino." Claro que a real intenção da teoria de Darwin foi nos mostrar que na natureza os mais aptos e bem adapatados ao meio sobreviverão, mas quem entendeu assim? Acredito que muitos de nós não vêem desta forma e sim que é preciso competir ferozmente e demosntar todas as suas aptidões para sobreviver, nem que para isso seja necessário o famoso "passar por cima". Sem medo de errar, nosso destino não é competir, é amar, pois na luta pela sobrevivência, todos sobrevivem, de outras maneiras, mas sobrevivem. Por isso jamais podemos descartar a pré-existência espiritual, antecedendo a matéria, sua função e seus objetivos. Teorisar é o mesmo que um jogo e erros e acertos, só que no jogo da vida tanto os erros quanto os acertos, tem significativa influência em tudo e todos a nossa volta, não é de forma alguma um movimento isolado. Arriscar muitas vezes é necessário, reconheço isso, mas para que arriscar quando temos as possibilidades seguras em nossas mãos?

Acredito eu que, a resposta pertinente a essa questão é arrogância. A humildade de aceitar a simplicidade ofertada ainda é uma realidade que nos é distante, pelo menos para a grande maioria. O ser humano chama isso de Teoria da Mediocridade. Os tidos medíocres se contentam com aquilo que já existe, a simplicidade não tem valor, o que é valoroso são as idéias e ações mirabolantes, que em nada se assemelham a simplicidade da mecânica criativa.
Nosso mundo como se apresenta hoje, me mostra claramente que nos falta o básico; nos reconhecer e nos entender para reconhecer no nosso próximo todas as semelhanças que existem entre todos nós, mas principalmente as limitações. Se reconhecemos aquilo que falta nos outros, é sinal que o mesmo falta em nós. Somente quando aceitarmos isso,
compeenderemos que a palavra diferente não existe, o que existe é incompreenção. Aquilo que pensamos equivocadamente que nos torna diferente uns do outros, é exatamente o que nos faz igual a todos. Não existe diferença entre seus iguais, o que existe é cegueira. Esse é o resultado de séculos de comodismo e conveniência que atolou a ser humano
em um mar de infinitas teorias disso, teorias daquilo e negligenciou o estado fundamental da nossa existência; a escência, tudo que existe é uma coisa só, faltando apenas ser combinado de forma correta para que possamos visualizar, acimilar e aceitar. Pense em um quebra cabeças e poderá compreender melhor que, enquanto as peças estiverem todas espalhadas sem uma ordem necessária, nada faz sentido até que alguém chegue e diga:

"Espera um momento, como saber por onde começar se ao menos sabemos o que significa? Vamos colocar uma ordem a partir de agora."

O simples ato de reorganizar aquilo que já esta alí, na nossa frente, já é o suficiente para obtermos uma boa noção de algo maior.
A figura do quebra cabeças só fará sentido, o todo, o algo maior, o abjetivo, caso sejamos humildes o suficiente para pararmos de especular qual seria a forma a ser encontrada.
Aplique isso em tudo que se faz no dia a dia, na ciência, na religião, na educação e verá os resultados extraordinários que a simplicidade é capaz de criar. Entender para aprender, vem muito antes do ensinar. Como queremos ensinar aquilo que nos é incompreencível? Não temos a visão do todo, então as conjecturas não passam de mera especulação, isso não é conhecimento, é uma tentativa de organizar as informações que temosdisponível, mas queremos anteceder os resultados antes mesmo que concluir a obra.

Paciência e perceverança são os caminhos. O atalho das teorias são válidos até o momento em que já não conseguimos mais visualizar aquilo que estavamos procurando. Deixou de fazer sentido, não jogue para debaixo do tapete da conveniência, volte pelo caminho percorrido e aceite que as respostas estão naquilo que há de mais simples e singelo.

"A genialidade humana não está nos algorítimos matemáticos tão complexos, está na simplicidade de visualizar não com os olhos, mas com a alma."

Quando substituirmos a palavra adversário pela palavra irmão, é por que o poder do autoconhecimento esta executando em nós as mudanças necessárias para recriarmos uma nova realidade a nossa volta.

"Compreenda-te e entenderá tudo a sua volta", somos iguais a absolutamente tudo que existe. Simples assim.

Foi pelo caminhar em meio ao entender que Albert Einstein disse:

"A religião do futuro será cósmica e transcenderá um Deus pessoal, evitando os dogmas e a Teologia. Abrangendo os terrenos material e espiritual, essa religião será baseada num certo sentido religioso procedente da experiência de todas as Coisas, naturais e espirituais, como uma unidade expressiva ou como a expressão da Unidade."

O que me faz pensar que Einstein foi particularmente genial, é que em sua época ainda não existia o estrelismo de ser uma celebridade, badalado pela sua capacidade visionária, apenas perdendo a responsabilidade e seu foco criativo quando começou a canalizar toda sua genialidade para um objetivo que em nada contibuiria para o todo. A partir desse momento, a genialidade criativa se tornou uma arma de destruição em massa. Não julgue-o, pois é exatamente isso que fazemos todos os dias quando focamos em nós mesmo no momento em que criamos algo. Isso que eu chamo de semelhança. Um único afetou toda uma existência, nós fazemos o mesmo por que ao contrário de Einstien, que era somente uma mente pensante e criativa -no sentido de criadora - somos bilhões fazendo o mesmo.
A devastação é equivalente, porém o pontencial criador poderia ser igual se apenas mudassemos o foco, deixar o egocentrismo de lado e começarmos a pensar em tudo e em todos antes mesmo de abrir os olhos pela manhã.

O foco do conhecimento deve ser antes de mais nada, o próximo. Jamais devemos nos esquecer que ninguém evolui sozinho. Fazer para si e somente para si, é o mesmo que não fazer nada. Quando partilhamos, a parte que vem do outro completa nossa sempre incompleta obra. Aquilo que consideramos o mais coveniente, ou seja, existir e criar para nós mesmos, é um obstáculo intransponível para o crescimento. Não acredito que exista lei no universo mais justa que essa. Pense nas tolices a qual somos autores diariamente!

"Isso é meu, aquilo tambem"; Quanto tempo e energia dispensado com o egoísmo e a incompreenção. Por que agimos assim? A resposta é tão simples quanto o próprios mecanismo de criação; Somos todos uma coisa só. O que não compreendemos e por isso não aceitamos é, como separar o indivisível. Se tudo é o que somos e somos tudo que há, como dividir com título de propriedade aquilo que criamos? Impossível. Então, apartir de agora, pense em como você faz e por que faz, então entenderá o que esta fazendo. Isso soa incoerênte não é mesmo? A ordem natural deveria ser, saber o que fazer antes de fazer e porque fazer. Essa é a prova de nossa inconsequente e distorcida visão de criação. A criação exige responsabilidade, lucidez e unidade.

"O compreender se torna impossível, o saber inalcançável caso queiramos aceitar apenas aquilo que nos convêm."

De Darwin à Física Quântica, passando por todas as teorias altamente mirabolantes criadas pela tortuosa e distorcida visão humana de si mesmo, já que nossa realidade é o reflexo de nosso mundo interior, há um abisal vácuo de conhecimento que ao meu ver foi disperdício de tempo e energia dispensada com tudo que há de mais desnecessário.

O segredo esta na simplicidade, é nisso que se baseia a criação. Os mecanismos desse meravilhoso movimento só nos parece incompreencível por que não nos damos a oportunidade necessária de compreendê-lo. Na prática, compreender significa mudar, mudar nossa posição em relação a tudo e a todos a nossa volta. Essas mudanças por sua vez exigem o exercício necessário de humildade e desapego que o ser humano não esta habituado, pois essas qualidades não são ensinadas nas escolas, nem universidades. A escola da vida a muito perdeu o seu valor, dando lugar ao diploma, um atestado de que você decorou muito bem aquilo que lhe foi oferecido, e quando lhe foi cobrado, foi devidamente lembrado.

Então por que devemos fazer aquilo que o título desse post sugere? ...colocar tudo em um único caldeirão... Eu acredito que a resposta para essa indagação afirmativa seja simples:

Por que já encontramos o caminho!

Passamos milênios pensando e pensando, conjeturando e teorisando. Agora é hora de pegar todo esse conhecimento, colocá-lo no "caldeirão" da nossa fábrica criativa e utilizá-la para aplica-lo na prática. O que mais queremos?...o que mais precisamos?

Queremos entender mais, mas não nos dispomos a tal! Nossa insatisfação é insaciável pois acreditamos que ainda não alcançamos aquilo que objetivamos, mas o que esta ocorrendo e é notório, é justamente ao contrário; já alcançamos, o que nos falta é a capacidade e a simplicidade de aceitar que fomos tão fundo antes mesmo de compreender o básico, e nos perdemos em meio a tanta informação, tanto conhecimento. Aprendemos a Física Quântica antes de saber o Be-a-ba da nossa escência. Chega de procura, basta, vamos criar, agir e produzir com aquilo que já temos em mãos. De nada adiantará tanto conquistado se nada for aplicado, na prática. O tempo hábil, aqui e agora, esta acabando, seria um tremendo disperdício se esse tempo se esvaísse e nós partíssemos sem realizar absolutamente nada de concreto, relevante e potencialmente exemplar.

O que estamos deixando para os próximos não passa de exemplos de tentativas. Precisamos mostrar que é possível, que tentativas com foco, conhecimento, generosidade e amor fraternal juntos, são uma força criadora com um poder inimaginável, extraordináriamente transformador. Amar é criar o eterno, o imortal.

A Tribuna - http://r-virtual.blogspot.com/2010/03/quer-compreender-entao-vamos-juntar.html

Este texto é de um amigo. Adriano Crivelli

Postagens mais visitadas deste blog

O Livro dos Danados

Mistérios dos Sumérios

A Civilização mais antiga do planeta !!!!!!!!