Uma Visão da Tecnologia do Armamento Escalar e as Profecias

“A Roupa Nova do Imperador”

Para aqueles de vocês que passaram pela escola sem terem lido “A Roupa Nova do Imperador”, de Hans Christian Andersen (1837), vamos revisar os fatos desse conto para que você possa ver a aplicação dele na guerra de George W. Bush contra o Oriente Médio

“Há muitos e muitos anos havia um imperador tão apaixonado pelas roupas novas, que gastava com elas todo o dinheiro que possuía. Pouco se incomodava com seus soldados, com o teatro ou com os passeios pelos bosques, contanto que pudesse vestir seus trajes.

Tinha um para cada hora do dia, e, ao invés de se dizer dele o que se diz de qualquer imperador: Está na Câmara do Conselho, dizia-se sempre a mesma coisa: 0 imperador está se vestindo.”

Na capital em que ele vivia, a vida era muito alegre; todos os dias chegavam multidões de forasteiros para visitá-la, e, entre eles, certa ocasião chegaram dois vigaristas. Fingiram-se de tecelões, dizendo-se capazes de tecer os tecidos mais maravilhosos do mundo. E não somente as cores e os desenhos eram magníficos como também os trajes que se faziam com aqueles tecidos possuíam a qualidade especial de serem invisíveis para qualquer pessoa que não tivesse as qualidades necessárias para desempenhar suas funções e também que fossem muito tolas e presunçosas.”

As frases-chave nessa história são “não ter as qualidades necessárias para desempenhar suas funções, “muito tolas” e “presunçosas”.

O imperador estava receoso de visitar os tecelões e examinar seus tecidos maravilhosos, pois poderia revelar que era muito tolo e, portanto, não tinha as qualidades necessárias para desempenhar suas funções. Em seu lugar, ele enviou seu bom e velho primeiro-ministro para ver os tecidos. Quando esse ministro olhou para o tear e não conseguiu ver nada, entrou em pânico, certo que estava sendo revelado que era muito tolo e desqualificado para desempenhar suas funções. Portanto, ele fingiu que conseguia ver a roupa; após cumprimentar os tecelões por terem fabricado uma roupa tão maravilhosa, ele voltou até o rei, para contar em grandes e vívidos detalhes como era maravilhosa a roupa.

O imperador então enviou outro “fiel cortesão” para ver o serviço dos tecelões e quando este não pôde ver nenhum tecido, chegou à mesma conclusão que o primeiro-ministro. Após dizer aos tecelões que o tecido era maravilhoso, voltou até o rei e, quando prestou contas de sua visita, contou em grandes detalhes que o trabalho estava realmente encantador.

Neste ponto, toda a cidade estava literalmente comentando os relatos dos dois honestos e respeitáveis ministros. Todas as pessoas da cidade diziam que não podiam esperar para ver o maravilhoso tecido usado para confeccionar a nova roupa do imperador. O próprio imperador ficou envolvido nessa charada até que tomou coragem para ir ver pessoalmente o tecido.

Quando o imperador não conseguiu ver coisa alguma, entrou em pânico! Em vez de revelar que não tinha as qualidades para o cargo e era muito tolo, fingiu ver o tecido, e fez grandes elogios aos tecelões. Ele viu os tecelões trabalhando com afinco em um tear completamente vazio, e ficou tão embaraçado que fingiu que podia ver o tecido.

Os dois vigaristas ficaram a noite toda trabalhando, à luz de velas, na noite anterior ao dia de uma grande procissão em que o imperador apareceria diante da população, convencendo a população que eles tinham trabalhado a noite toda para poder cumprir o prazo da entrega de uma nova e magnífica roupa para o imperador.

Finalmente, na manhã seguinte, os tecelões pediram que o rei se despisse para que eles pudessem colocar as peças “tão leves quanto uma teia de aranha” sobre ele. Embora o imperador visse sua nudez no espelho, virou-se uma vez ou outra para o espelho, a fim de contemplar-se, fingindo que se via vestido em um magnífíco traje.

Quando o imperador se colocou à vista da população totalmente nu, todos ficaram pasmados! As pessoas podiam ver a nudez do imperador, mas tinham receio de admitir, sem querer dar a perceber que não podiam ver coisa alguma, para não passarem por tolas ou incapazes. Cada uma dizia para a outra: “Como está bem vestido o imperador! Que cauda magnífica! A roupa assenta nele como uma luva! O caso é que nunca uma roupa do imperador fizera tanto sucesso. Ninguém — nem o rei, nem os ministros, nem os cidadãos medianos nas ruas — tinham a coragem de dizer aquilo que seus olhos diziam, isto é, que o rei estava absolutamente nu! Ele não estava usando roupa alguma!

Finalmente, um menino, obviamente ainda não ‘educado’, e sem se preocupar que as demais pessoas pensariam que ele era ‘muito tolo’, exclamou a verdade:

‘Mas eu acho que ele não veste roupa alguma!’ — aquele inocente menino disse em alta voz. Imediatamente, a multidão tomou coragem de gritar a mesma coisa para o imperador, agora horrorizado. Como ele e seus ministros tinham sido ludibriados pelos falsos tecelões, a presunção e a falta de autoconfiança deles, impediram que vissem aquilo que seus olhos físicos mostravam, e todos provaram que eram desqualificados para o cargo e imperdoavelmente estúpidos.

O imperador, porém, manteve a compostura e continuou mais impassível do que nunca, até voltar para o castelo. O reino, porém, tinha sido liberado pela inocente verdade dita por uma criança. Verdadeiramente, esse imperador ‘não vestia roupa alguma.’

A Arrogante Liderança Americana Desde o 11 de Setembro

Agora mesmo, todo o mundo está passando por um exercício similar com o presidente Bush e sua guerra da Nova Ordem Mundial, uma guerra que foi planejada desde 1870 [leia o artigo N1056], o gatilho da qual será o ataque ao Iraque. Nesta série de dois artigos, enfocaremos o aspecto técnico de um armamento; veremos que, conforme Bush leva o mundo a uma guerra desnecessária, está literalmente cumprindo esse conto de Hans Christian Andersen de forma exata. Quando você examinar os fatos, verá que os EUA estão sem roupa em toda essa situação.

Vamos voltar à cena de 13 de setembro de 2001, dois dias após os ataques ao World Trade Center e ao Pentágono. Veja a arrogância do Subsecretário da Defesa, Paul Wolfowitz, ao descrever a resposta planejada dos EUA aos ataques de 11 de setembro.

Resumo da Notícia: “Estágio Armado Para o Ataque”, Susanne M. Schafer, Associated Press, The Sun Chronicle, sexta-feira, 4/9/2001.

“Washington — Nas descrições mais explícitas já feitas das intenções do governo Bush, o Subsecretário da Defesa Paul Wolfowitz disse na quinta-feira que a retaliação será continuada até que as raízes do terrorismo sejam destruídas. “Essas pessoas tentam se esconder. Elas não poderão se esconder para sempre… Elas pensam que seus abrigos são seguros, mas não serão seguros para sempre… não é simplesmente uma questão de capturar pessoas e responsabilizá-las, mas remover os santuários, remover os sistemas de apoio, dar fim aos estados que patrocinam o terrorismo.” [Página 2; coberto em detalhes no artigo N1542].

Os EUA tinham acabado de prometer — em um nível bem alto — que iriam atacar qualquer país que estivesse abrigando, treinando ou patrocinando o terrorismo, com o objetivo de “dar fim ao estado”. Em outras palavras, os EUA estariam se colocando como o policial global que traria todos esses gangsteres internacionais à justiça; além disso, estariam se colocando como o juiz e como o júri global que decidiria arbitrariamente quem é culpado e, unilateralmente, decidiria se a evidência era forte o suficiente para chegar a uma conclusão positiva. A implicação dessas palavras é clara: os EUA vão decidir que evidência existe que é forte o suficiente para garantir que o país específico seja levado à justiça. Finalmente, o Subsecretário da Defesa, Wolfowitz disse que os EUA seriam também o carrasco executor.

Embora os EUA tenham alinhado um número considerável de países para apoiarem o ataque ao Iraque, muitos outros países têm sido firmes o bastante para protestar que as evidências não fortes, não são conclusivas e, certamente, não justificam uma guerra total, especialmente uma guerra que pode provocar a erupção de uma conflagração regional no Oriente Médio.

Esses países estão representando o papel do menino inocente nesse conto de Andersen; estão exclamando para todos ouvirem: “O imperador não veste roupa alguma”.

Uma Tecnologia de Armamentos Preeminente

Se os líderes de uma nação são assim terrivelmente arrogantes e ousados em declarar para o mundo que vão “dar fim aos estados” que patrocinam o terrorismo, você acharia que esses líderes estão fazendo essa afirmação a partir de uma posição de absoluta força militar. Você acharia que essa arrogância é o resultado de esses líderes reconhecerem que os EUA são o King Kong militar do mundo inteiro. Realmente, a mídia de massa diz há mais de uma década que os EUA são a única superpotência mundial, desde que a URSS foi desmantelada. Vimos muitos artigos falando com jactância sobre as novas armas que poderiam ser usadas contra o Iraque, algumas das quais não existiam antes de 11/9/2001.

A poderosa implicação é que os EUA têm a mais forte e mais poderosa força militar no mundo. Se qualquer país se atrever a se opor aos EUA, poderá sentir o chicote das forças militares americanas onipotentes. Como o presidente Bush já disse muitas vezes, “Quem não estiver conosco, estará contra nós.”

O primeiro segmento deste artigo lidará com um assunto muito chocante: Os EUA NÃO possuem a mais poderosa e mais avançada tecnologia de armamentos do mundo! Inimigos dos EUA têm esse tipo de tecnologia! Pelo menos cinco países no mundo possuem o tipo de tecnologia que pode submeter as forças militares americanas à aniquilação em algumas poucas horas, se decidirem lançá-las contra nós!

“A América Queimará no Fogo!”.

Neste artigo, falaremos de um desses sistemas bélicos: a tecnologia dos armamentos escalares. Obteremos muitas das nossas informações de um livro chamado Fer De Lance, escrito pelo tenente-coronel Thomas E. Beardon, atualizado em 2002.

Antes, porém, queremos citar o coronel Byron Weeks, da reserva da Força Aérea, em uma advertência que fez em 5 de outubro de 2002; publicamos os comentários dele na seção Daily News Updates, não uma, mas várias vezes. Veja o que disse o coronel Weeks:

“A assim-chamada América Imperial muito provavelmente não tem os meios de apoiar suas várias tentativas de controlar o mundo. Somos mais fracos agora do que nunca antes. As bravatas de Bush são vazias e, mesmo que tenhamos o canhão de Tesla, assim também a Rússia e a China os têm, e a Rússia tem armas escalares eletromagnéticas há mais tempo — tempo suficiente para ter experimentado e testado várias formas delas muitas vezes. Mas embora evidentemente os EUA tenham alguns armamentos energizados por HAARP, o físico e tenente-coronel Thomas Beardon diz que não temos muito, se é que temos, e nossos armamentos escalares ainda não estão prontos para serem usados eficientemente…”

“Se atacadas, nossas forças terrestres estarão tão vulneráveis quanto patinhos sentados, lá no deserto árido e quente, e sem ter aonde se esconder. As cidades e os antigos sistemas ABM não nos protegerão. Se atacarmos o Iraque, o que agora parece ser inevitável, podemos esperar sermos atacados por todos os lados, com bombas nucleares, EMPs, e ondas do interferômetro eletromagnético longitudinal que virão sobre nós como fogo do céu. A América queimará no fogo…”

“A América queimará no fogo”.

Estremeci quando li essas palavras, mas não pude negar os fatos ocultistas: o Plano da Nova Ordem Mundial prevê que os EUA queimarão como a ave fênix, o pássaro mítico do antigo Egito, que morre voluntariamente e queima-se em chamas tão grandes que seu corpo é reduzido a cinzas. Os Pais Fundadores ocultistas foram instruídos por seus espíritos-guia demoníacos que a verdadeira ave nacional dos EUA seria a lendária fênix. No tempo certo, os EUA queimarão no fogo como a fênix, e das cinzas surgirá a Nova Ordem Mundial, com o Anticristo na cena mundial.

Este é o plano.

Para mais informações sobre a ave fênix e sua aplicação aos EUA, leia os seguintes artigos:

N1399 — O Centro Governamental em Washington Foi Projetado de Acordo com a Árvore da Vida Sefirot, da Cabala.

N1493 — Os Pais Fundadores dos EUA Planejaram Washington Como a Capital Ocultista do Mundo — Parte 2 (disponível na área restrita aos assinantes).

N1603 — A Fênix nos Cartões de Natal Enviados Pela Primeira-Dama Laura Bush.

Como o plano ocultista maçônico é que os EUA sejam a ave fênix, a advertência do coronel Weeks bateu fundo em meu coração; mas ainda assim, a resposta permaneceu: como é possível para a Rússia e a China terem armamentos tão mais avançados, quando tradicionalmente os EUA é que sempre possuíram o nível de tecnologia mais alto no mundo? Este artigo responde a essas questões.

O Armamento Escalar

O armamento escalar são ondas eletromagnéticas emitidas por meio de antenas de rádio construídas de uma forma especial. Embora os EUA tenham construído antenas HAARP quase uma década atrás, essa tecnologia é evidentemente inferior à tecnologia russa e pode representar um gigantesco esforço para “alcançar” o armamento russo. Veja o que diz o coronel Beardon:

“Já há algum tempo, a Rússia e vários outros países possuem armas altamente avançadas ‘eletromagnética-estendida’ (energética) de um tipo totalmente novo, usando uma teoria da eletrodinâmica grandemente aprimorada… A maioria dessas armas energéticas é mais avançada do que aquilo que anteriormente foi conhecido pelas comunidades militares, de inteligência e científicas dos EUA… Um grande fator de contribuição que retardou os EUA é que os fundamentos imprecisos da teoria de Maxwell, de 1865, não foram alterados pela comunidade científica ocidental.”

“Com os EUA substancialmente atrasados nessas ‘novas’ superarmas estratégicas, um novo Projeto Manhattan parece ser aconselhável e garantido… Um sério desenvolvimento que ocorreu anteriormente neste ano (2002) foi o emprego pela China das armas de potencial quântico (QP) e as armas de pulso de energia eletromagnética negativa (EMP) — um tipo que originalmente chamávamos de MindSnapper para disfarçar sua verdadeira natureza. As armas de potencial quântico são as armas dominantes no mundo atualmente, seguidas de perto pelo armamento de energia eletromagnética negativa… Não podemos ter certeza de quantos países já têm o armamento de energia EMP negativa, mas são pelo menos cinco… Os EUA ainda estão bem atrasados…” [Fer De Lance, pg 4-5].

Essa informação é surpreendente, e confirma a desesperada advertência do coronel Byron Weeks, feita em 5 de outubro de 2002. “A América queimará no fogo”, ele diz, porque não tem os armamentos mais poderosos do mundo; não tem os armamentos para suportar as bravatas do presidente Bush, do Secretário de Defesa Rumsfeld e do Subsecretário da Defesa Wolfowitz.

Na verdade, desde 1985, quando a Rússia começou a testar seus novos armamentos, seus cientistas e militares fizeram vários testes contra aviões e mísseis, e observaram atentamente as reações americanas. O coronel Beardon disse: “Novamente, a reação dos britânicos — e dos EUA também — foi conforme prevista. Novamente, mostramos que não sabíamos nada a respeito do armamento escalar eletromagnético, e que não reconhecíamos um quando encontrávamos seus efeitos.” [Fer De Lance, pg 271].

O coronel Weeks descreveu um determinado tipo de arma chamado Domo de Tesla. Neste ponto, vamos mostrar para você o que é um Domo de Tesla, como funciona, e por que é tão importante ter um deles no campo de batalha hoje. Você descobrirá que nenhuma frota deve partir se os cientistas não puderem empregar um Domo de Tesla eficiente; nenhum exército deve marchar e nenhuma força aérea deve ser acionada sem esse Domo.

Como você pode ver com as informações na parte de baixo da gravura, essa é uma ilustração de um teste que os russos fizeram em 1986 sobre Atlanta, na Geórgia, durante um período de tempo não especificado. Vamos acompanhar a explicação detalhada do coronel Beardon:

“Em 12 de novembro de 1986, os soviéticos chegaram a colocar um ‘falso escudo’ gigante sobre Atlanta, na Geórgia. Se o escudo tivesse sido real e não apenas de teste, os aviões e mísseis que estivessem voando para ele teriam explodido instantaneamente e sido destruídos. Esse modo — ‘engarrafar’ uma área de armas estratégicas — é útil para anular todo um sistema de lançamento estratégico de ICBMs (mísseis balísticos intercontinentais) ou uma grande base de bombardeiros, etc. Ela também pode ‘engarrafar’ uma grande força-tarefa de um porta-aviões no mar, incluindo os aviões e os mísseis Tomahawk, os tiros dos canhões navais, etc. Com um escudo real, os aviões ou mísseis voando para ele (de dentro ou de fora) explodem e são destruídos.” [Fer De Lance, pg 135].

Esse Domo de Tesla é absolutamente o armamento mais poderoso sobre os qual eu já ouvi falar! Se o presidente Bush mobilizar os navios, os aviões e os exércitos americanos sem um Domo de Tesla funcional, todas essas forças poderão ficar ‘engarrafadas’ defensivamente, ou poderão não atacar o inimigo como pensamos que vão fazer! Se qualquer avião, por exemplo, tentasse voar para fora do Domo de Tesla, explodiria e seria destruído.

Além disso, se a Rússia erigisse um Domo de Tesla sobre Bagdá, por exemplo, nenhuma das armas americanas poderia tocar a cidade! Não podemos desconsiderar essa possibilidade, exceto pelas razões que discutiremos na Parte 2.

Você pode ver que qualquer sistema de armamentos hoje precisa se mover sob a proteção de um Domo de Tesla. Em outras palavras, o Domo sempre precisa se mover por cima e em torno dos navios, dos aviões e dos exércitos à medida que eles se deslocam até seu destino. Como você pode imaginar a partir dessa figura, um Domo pode ser criado para se mover continuamente e com a mesma velocidade que o avião, de modo que sempre o estará envolvendo.

Novamente, podemos ver como essa arma pode ser usada de forma defensiva ou ofensiva. Se um Domo de Tesla for colocado em volta de aviões e se mover com eles, nenhuma força inimiga poderá destruí-los; da mesma foram, se o Domo de Tesla for erigido em volta de um alvo, nenhuma de nossas armas funcionará contra ele.

Mas, então, as notícias ficam piores. Ao discutir os terríveis efeitos de um enorme Domo de Tesla, lemos:

“Como mostrado… duas superfícies escalares hemisféricas são criadas, usando-se múltiplos transmissores de freqüência e expansões de séries de Fourier truncadas. A interferência dos dois hemisférios escalares cria um grande e brilhante núcleo hemisférico de energia eletromagnética comum. No núcleo, a densidade da energia é suficiente para levantar matéria Dirac do Dirac Sea do vácuo. O núcleo é assim preenchido com um plasma brilhante.”

“Esse núcleo pode ter várias centenas de quilômetros de diâmetro na base. A energia enorme que é requerida para formar esse núcleo de defesa é obtida por uma ‘torneira de energia escalar’ no núcleo derretido da própria Terra, como explicado anteriormente. No final de abril/início de maio de 1985, 27 dessas ‘torneiras de energia’ foram colocadas na Terra pelos soviéticos. Cada torneira é capaz de gerar explosões exotérmicas, explosões endotérmicas, modificar o clima, localizar e destruir submarinos submersos, detectar e destruir mísseis balísticos logo após o lançamento, detectar e destruir os bombardeiros estratégicos de longo alcance logo após a decolagem, etc.”

“De qualquer modo, o escudo Tesla gigante é útil contra qualquer tentativa de ataque… Não há a necessidade de discriminar verdadeiros veículos transportadores de ogivas de veículos falsos e despistadores, etc. Tudo o que estiver entrando no escudo é simplesmente ‘limpo’, ‘esterilizado’, ou destruído. O escudo pode cuidar dos mísseis balísticos de longo e de médio alcance e suas ogivas nucleares, bombardeiros estratégicos e suas bombas nucleares, mísseis cruzeiro e suas ogivas nucleares, veículos de reentrada e suas ogivas, veículos despistadores, etc.” [Fer De Lance, pg 258-9].

Para compreender plenamente a abrangência da mentira que o governo está contando para nós, temos somente de lembrar que estamos continuamente vendo notícias da Força Aérea fazer testes para atingir fisicamente um míssil usando outro míssil, em testes de ‘defesa contra mísseis’! Esses assim-chamados testes — se é que são realmente realizados — são exemplos perfeitos de propaganda! Esses ‘testes’ são simplesmente destinados a esconder a verdadeira natureza da tecnologia de nós. Se estamos olhando para uma tecnologia que foi tornada irrelevante trinta anos atrás, e fomos levados a acreditar que é tecnologia de ponta, nunca veremos a existência da verdadeira tecnologia. E, quando formos atingidos por essa tecnologia no campo de batalha ou em nossas cidades, nunca saberemos o que nos matou!

Lembre-se, até HAARP oferece uma defesa limitada e relativamente primitiva contra os mísseis. Portanto, os militares e o governo sabem com certeza que estão mentindo para nós quando encenam esses testes de ‘defesa contra mísseis’, em que o choque de um míssil contra outro é supostamente o objetivo.

Algumas Aplicações da Tecnologia dos Armamentos Escalares

Os transmissores russos podem carregar componentes escalares que, além dos ataques biológicos, podem ser usados para muitos outros propósitos, tais como:

  1. Influenciar ou controlar o clima.

  2. Fazer desviar as gigantescas correntes atmosféricas das camadas superiores da atmosfera.

  3. Detectar, rastrear e destruir os mísseis logo após o lançamento deles.

  4. Detectar, rastrear e destruir os bombardeiros estratégicos e outros aviões.

  5. Atacar alvos de superfície terrestres e nos oceanos com grandes explosões eletromagnéticas aéreas: a explosão eletromagnética produz a bola de fogo, os efeitos térmicos e a onda da explosão de uma explosão nuclear, mas sem a radiação nuclear e a contaminação radioativa decorrentes. Nota: Esse armamento escalar também produz a distintiva nuvem em forma de cogumelo que normalmente está associada somente com as armas nucleares. Portanto, as ‘colunas de fumaça’ citadas em Joel 2:30 podem ser produzidas por armas escalares, e não nucleares!

  6. Ataques na superfície terrestre e dos oceanos por grandes ‘explosões frias’ em que os seres vivos congelam quase instantaneamente, deixando as instalações e os equipamentos intactos. Nota: Discutiremos esse assunto em um artigo posterior, pois nem o tempo nem o espaço nos permitem abordar esse assunto aqui.

  7. Atacar alvos de superfície terrestre e nos oceanos por meio de várias perturbações eletromagnéticas severas, para que todos os equipamentos eletrônicos entrem em pane. Nota: O armamento escalar pode destruir os sistemas eletromagnéticos mesmo se eles tiverem sido ‘robustecidos’!

  8. Atacar o pessoal em terra e no mar por meio da destruição direta de seus sistemas nervosos com uma forte energia eletromagnética induzida internamente.

  9. Prejudicar o funcionamento de instalações distantes, dos equipamentos, ou do pessoal, ou destruir as plantações em grandes áreas por meio de frio intenso ou calor excessivo, e até mesmo provocar uma surpreendente oscilação entre os dois.

  10. Causar terremotos distantes em uma zona de falha distante depositando energia nas rochas ali, fazendo aumentar a tensão (estresse) nas placas até que ocorra uma movimentação na zona de falha. Nota: O autor de Nova Era Bill Cooper observa que, durante o período de tempo de pânico planejado, a cidade de Los Angeles será atingida por um terremoto devastador de 9 graus. Agora, pelo menos sabemos de onde virá esse terremoto!

  11. Causar grandes e anômalas movimentações das placas tectônicas de uma grande área, depositando e extraindo energia de áreas alternadas, causando uma deformação na grande placa rochosa. Nota: Albert Einstein observou que todo o continente norte-americano poderia ser deformado, fazendo-o submergir nos oceanos, usando-se dispositivos nucleares posicionados nas linhas de falha corretas em todo o continente.

  12. Criar uma grade de interferência na água para que os submarinos submersos possam ser detectados, rastreados e destruídos, antes que seus mísseis sejam disparados. Nota: Isso significa que todos os sofisticados e caros submarinos serão totalmente neutralizados! Lembre-se, a razão por que os EUA aumentaram drasticamente sua dependência dos submarinos foi por que eles eram indetectáveis!

  13. Atacar navios e forças-tarefa pela água, atravessando seus cascos, sem aviso.

  14. Atacar silos de mísseis e sítios de armazéns nucleares ‘antes do lançamento’, diretamente pela própria terra.

  15. Iniciar a explosão nuclear completa de ogivas nucleares do tipo implosão a bordo dos mísseis nas estações de batalha.

  16. Iniciar a explosão nuclear completa de ogivas do tipo implosão em sítios de armazenamento e em reserva pronta.

  17. Destruir minas marítimas e sensores submersos, incluindo até ‘campos’ inteiros.

  18. Detectar e destruir torpedos hostis, mísseis antinavios e anti-submarinos e munições e cargas anti-submarinos lançadas. Nota: Essas capacidades nos números 15-18 significam que os armamentos escalares podem quase instantânea e simultaneamente explodir todas as ogivas nucleares e convencionais no arsenal americano em todo o mundo. Em um momento, no piscar dos olhos, os EUA poderão se tornar impotentes.

  19. Interferir no aterramento elétrico de sistemas de geração e de distribuição de energia elétrica distantes para que o sistema falhe de forma catastrófica.

  20. Interferir no aterramento elétrico de sistemas de produção de energia elétrica distantes para que os transmissores de rádio e de televisão, as redes de energia, e as fiações complexas em edifícios e instalações irradiem um componente de onda escalar, ou um sinal complexo desejado, nos equipamentos e nas pessoas.

O tenente-coronel Beardon então conclui solenemente:

“Resumindo, os complexos do transmissor Pica-pau (escalar) e outros armamentos eletromagnéticos associados são mais úteis nas grandes missões requeridas na guerra.” [Fer De Lance, índice].

Em outras palavras, todo sistema de armamento que os EUA arduamente enviaram à guerra e os homens e mulheres que devem operá-los, estão em grande risco de total aniquilação por um sistema de armamentos que os EUA ainda não usam, pelo menos não de forma eficiente. Ouça o coronel Weeks novamente:

“Estamos mais fracos agora do que nunca antes. As bravatas de Bush são vazias, e mesmo se tivermos o canhão de Tesla, a Rússia e a China também os têm, e a Rússia tem as armas escalares eletromagnéticas há mais tempo — tempo o suficiente para ter testado e experimentado várias formas delas diversas vezes. Embora evidentemente tenhamos algumas armas HAARP, o físico e tenente-coronel Thomas Bearden diz que não temos muitas, e nosso armamento escalar ainda não está pronto para ser usado de forma eficiente…”

Mas e as Superarmas Americanas?

Neste ponto, você provavelmente está protestando e dizendo, “Mas os EUA desenvolvem suas próprias superarmas! Elas podem não ser exatamente armas escalares, mas são novas, e também são terríveis e podem contrabalançar esses sistemas de armamentos escalares. O coronel Beardon responde a essa questão:

“Temos radares terrestres, interceptores endoatmosféricos, interceptores exoatmosféricos, sensores aéreos, sensores colocados no espaço, interceptores de propulsão química, pistolas eletromagnéticas, armas de feixe de partículas, lasers de alta energia, amarrados todos juntos por sistemas maciços de controle e de comando… Sistemas maciços. Maravilhas eletromagnéticas. Lasers nucleares de poder surpreendente. Talvez até lasers de raios-X e de raios gama. Armas de radiofreqüência de energia dirigida.Railguns estupendos. Sensores em toda a parte. Redes gigantes de comunicações. Bancos de computadores e sistemas de controle.”

“E tudo isso está vulnerável aos armamentos de interferômetro eletromagnético. ‘Radares’ eletromagnéticos escalares gigantes podem simplesmente passar por tudo isso como uma foice pelo meio do feno.” [Ibidem, pg 331].

E os armamentos escalares americanos? “Nosso armamento escalar ainda não está pronto para ser utilizado de forma eficiente.”.

Postagens mais visitadas deste blog

O Livro dos Danados

Mistérios dos Sumérios

A Civilização mais antiga do planeta !!!!!!!!